domingo, 20 de novembro de 2011

MORANGO DO NORDESTE: Ceará vai exportar morango para Europa


Clique para Ampliar
Plantação de morango no Município de São Benedito. A safra deste ano está estimada em 100 mil quilos numa área plantada de 50 mil metros quadrados LAURIBERTO BRAGA

A Serra da Ibiapaba está sendo destaque nacional na produção de morango. A ideia agora é expandir para fora
São Benedito. Setenta mil pés de morango produzindo o ano inteiro. É com este número que o morango do Ceará, cultivado em São Benedito, na Serra da Ibiapaba, ganha o Brasil e vai para o Mundo. Há dois anos começou a produção, que agora começa a ser comercializa para mais Estados brasileiros e chegará, até 2014, ao exterior. O morango cearense, até então apreciado somente no Estado e no Piauí, ganha o Brasil indo para Pernambuco, Maranhão, Rio Grande do Norte e Paraíba. A ideia é que chegue aos Estados Unidos e Europa até 2014. Para que isso aconteça há cobrança dos produtores. Eles querem a ampliação da Central de Abastecimentos S.A (Ceasa) de Tianguá, a construção do Porto Seco de Sobral e a conclusão do aeroporto internacional de Jericoacoara, em Cruz. Com isso, a produção de morango cearense (hoje perto de 90 mil quilos ano) será melhor distribuída e chegará ao mercado externo, via Porto do Pecém e, também, aeroporto de Jeri.

O morango de São Benedito é classificado como um dos melhores do Brasil, não deixando a desejar quanto aos produzidos no Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo. Hoje, a plantação conta com o apoio do Instituto Agropolos do Ceará. O morango cearense em tamanho, cor e sabor é até melhor que o produzido no Sul-Sudeste brasileiro, segundo os produtores locais. Com isso, é ideia deles é incluir o morango na pauta de exportação de frutas do Ceará dentro de três anos (2014). Este morango será um dos atrativos culinários cearenses para a Copa do Mundo Fifa 2014, em Fortaleza.

Como tudo começou
Foi assistindo, em 2009, a uma reportagem do programa Globo Rural, da Rede Globo de Televisão, sobre cultivo de rosas em São Benedito, que o mineiro Claudemir César Pereira decidiu se mudar para cidade cearense e investir na plantação de morango. Primeiro, comprou um hectare de terra e ainda em 2009 começou a cultivar morango. Encontrou em São Benedito o local ideal para a produção. Temperatura variando de 14 a 28 graus e mesmo com pouca chuva, mas uma irrigação inteligente, fez com que a terra de São Benedito alcançasse este ano uma produtividade superior ao do Sul-Sudeste. Em São Benedito, um pé de morango rende até quilo e meio da fruta, contra em torno de um quilo em Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo e ainda São Paulo.

Expansão
Já em São Benedito, Claudemir Pereira conseguiu atrair outro empresário mineiro. Fez sociedade com Antônio Borges e a colheita começou a ser dia sim, outro não. Com isso, eles expandiram o negócio e começaram a também comercializar mudas de pé de morango importadas da China. Estas mudas mais produtivas foram introduzidas por Carlos Alberto da Silva, que também entrou no projeto.

Claudemir então trouxe o irmão Flávio José Pereira para cuidar da plantação. Daí comprou mais quatro hectares de terra e hoje em cinco hectares tem 70 mil pés de morango. Hoje, a plantação em São Benedito gera 50 empregos diretos. É o pessoal para preparação do terreno, limpeza e colheita dos morangueiros. A produção começou em 2009, com uma média de 300 gramas de morango por pé. Ao final da safra eram 20 mil quilos. No ano passado aumentou para 40 mil quilos. Hoje, com a produtividade de até um quilo e meio do produto por pé, a safra desde ano está estimada em 100 mil quilos numa área plantada de 50 mil metros quadrados. Flávio Pereira assumiu o plantio no Município de São Benedito com a ida de Claudemir para a Chapada da Diamantina, na Bahia.

Na Ceasa de Maracanaú, o morango de São Benedito está sendo vendido de R$ 12,00 a R$ 13,00 a caixa de um quilo e duzentas gramas. O produto já teve preço de R$ 10,00, a caixa. Mas a tendência com a boa safra deste ano (pode chegar a 100 mil quilos) é que volte a custar R$ 10,00.

Novo experimento
Para melhorar ainda mais a produtividade, o Instituto Agropolos, por meio de seu escritório na Serra da Ibiapaba, desenvolve experimento com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuárias (Embrapa). "Este experimento deve começar a ser implantado no começo de 2012. Trata-se de um experimento que vai melhorar a produção de morango em São Benedito, saindo do solo para o substrato", adianta o técnico do Agropolo Ibiapaba, Antônio Augusto.

Apoio
De acordo com o técnico da Embrapa Agroindústria Tropical de Fortaleza, Fábio Miranda, o experimento em São Benedito tem apoio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

"Vamos experimentar uma plantação com substratos de 80 centímetros a um metro de altura para evitar o problema de doenças na coluna dos colhedores e melhorar a produtividade, pois diminuirá a incidência de doenças provocadas pelo solo. O experimento terá ainda um manejo mais integrado contra pragas", diz Fábio Miranda.

PROPRIEDADES

Produto necessita de cuidados para correto armazenamento

São Benedito.
O morango é uma planta da família Rosaceae, consumido "in natura" e muito utilizado no preparo de tortas, mousses, doces, geleias e bombons. Por ser uma fruta muito sensível, pode ser guardado na geladeira por até três dias.

É classificado como pseudofruto composto, e a parte vermelha, quando maduro, é o desenvolvimento do receptáculo da flor, enquanto os verdadeiros frutos, do tipo aquênio, são os "pontinhos" pretos sobre essa massa suculenta.

Como o morango é uma fruta não climatérica, após a colheita não ocorre amadurecimento nem melhora das condições organolépticas, ou seja, se colhido verde, assim permanecerá, sem melhoria na qualidade comestível. Fruta de baixo valor calórico (cerca de 40 calorias a cada 100 gramas), o morango possui ação antitérmica, diurética, antiartrítica e mineralizante, além de ser antiviral e anticancerígeno. Contém fósforo, potássio, sódio, carboidratos, cálcio, ferro e vitaminas A, B e C. "Vermelhos, suculentos e doces. Finalmente, o brasileiro começa a consumir morangos de qualidade próxima à encontrada na Europa e Estados Unidos. De preferência, misturados a generosas colheres de açúcar e de creme de leite. Agora, basta uma pequena mordida para a polpa doce e macia do morango se espalhar pela boca e dispensar qualquer adição que possa comprometer seu sabor e aroma naturais", escreve a jornalista Nely Caixeta, especialista em produtos de exportação, diretora da Totum Excelência.

A jornalista informa que uma série de variedades mais doces e perfumadas foi introduzida e adaptada às várias regiões produtoras - de estados de clima mais ameno do Sul, passando por São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, até as regiões de altitude do Ceará, Bahia e Distrito Federal. Existem no País mais de 15 variedades de morango em produção.

O morango, que chega à mesa dos consumidores cearenses, percorre um caminho longo até às prateleiras dos supermercados, mercadinhos e lojas especializadas. Na Ceasa, em Maracanaú, o fruto vindo de São Benedito é entregue duas vezes por semana para a empresa distribuidora, o que garante bons morangos para a venda no varejo. Mas, para manter a boa apresentação e qualidade, a logística do transporte e distribuição são passos imprescindíveis.

Os grandes baús transportam 27 mil quilos de morangos por carrada e são preparados para não perder o frio ao longo da viagem, fator importante para manter a qualidade da fruta durante o tempo de transporte. A temperatura ideal, de 0 a 5 graus, é controlada por sistema de refrigeração e conta com sensores que monitoram constantemente a temperatura até o destino. Além disso, antes de chegar aos distribuidores, esses veículos passam por higienização.

As embalagens fazem parte do processo e são peças fundamentais na manutenção da qualidade. O vendedor da distribuidora Perboni, Neto Pegado, diz que as embalagens "agora, são lisas para não correr o risco de cortar o morango e o filme, que cobre, é mais fino", destaca.

FIQUE POR DENTRO

Origem no Brasil
O início do cultivo do morango no Brasil não é bem conhecido. Mas se sabe que a cultura morangueira começou à expandir-se no País a partir dos anos 1960, com o lançamento da cultivar Campinas, em São Paulo. Há 50 anos que a cultura vem crescendo e chegou no Ceará há dois anos. Destaque também para áreas plantadas no Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, Espírito Santo e Distrito Federal. No Rio Grande do Sul, o Vale do Rio Caí é o principal produtor de morangos de mesa, seguido de Caxias do Sul e Farroupilha, enquanto Pelotas e municípios vizinhos se destacam na produção de morango-indústria. Em Minas Gerais, o morangueiro foi introduzido em Cambuí, no Vale do Peixe, por volta de 1958. Hoje, ocorre na maioria dos Municípios do extremo Sul do Estado, na Região da Mantiqueira, sendo Pouso Alegre e Estiva os maiores produtores, e nos Campos das Vertentes, em Barbacena e Municípios vizinhos. Em São Paulo, a produção se concentra em Campinas, Jundiaí e Atibaia, esta última representa 60% da área cultivada.

MAIS INFORMAÇÕES

Instituto Agropolos
Escritório da Serra da Ibiapaba
Zona Norte do Estado
Telefone: (85) 9953.7825

Lauriberto Braga
Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário